Pescando Com Crankbait

Texto e Fotos: Pepe Mélega

Não há dúvida de que os crankbait (s) são iscas eficazes para cobrir rapidamente grandes extensões de água. Eles permitem lançamentos longos, recuperações rápidas e passam muito tempo na zona de ataque ideal. Ou seja, nenhum pescador de torneio deve evitar de ter em sua caixa, assim como os que pescam por lazer.

Os peixes são inteligentes e preguiçosos, quanto menos esforço for necessário para pegar a presa mais fácil será ele resolver atacar. Mesmo que esteja bem alimentado um predador não descarta uma presa que passa a sua frente.

Pescar com esse tipo de plug é prático, rápido e eficiente – mas é preciso ser persistente – nada de dois arremesso e parte para outra isca e ou ponto. Se o seu instinto diz que é um bom local para arremessar explore-o bem, passe várias vezes no mesmo lugar. Estratégia de arremessar em leque e fazer uma ida e volta é super recomendável. 

O que são:

Imitações de alimentação forrageira – pequenos peixes, que podem ter variações de cores que se assemelham a crustáceos. É um corpo com uma barbela (lingueta) e o formato, tamanho e ângulo dessa é que define o quanto afunda ao ser recolhida.  Há modelos para nadar em águas rasas e outros que podem descer até a 6 metros de profundidade. O mais comum é serem floating (flutuam) ao parar de recolher a tendencia é subir, mas há alguns modelos suspending (flutuação neutra)  que ficam paradas no ponto em que estão quando se para de recolher. É menos comum achar um modelo que afunda (sinking) e quando acha normalmente são modelos lipless que se encaixam em outra classificação, em minha opinião.

O trabalho de recolhimento provoca oscilação – característica dessa isca que é conhecido internacionalmente como wobbling. Ou seja, apesar de funcionar também em águas limpas, translúcidas ou gin water, são mais utilizadas em águas turvas, com suspensão de partículas de areia e ou poeira e em dias de pouca luminosidade onde a vibração de seu trabalho irá despertar a atenção do predador ao senti-la em sua linha lateral. 

Pense da próxima vez que encontrar uma cobertura de vegetação abaixo da superfície em explora-la usando um crank de nado raso, eu o desafio a fazer 5 pinchos antes de seguir para outro ponto – mesmo que seja apenas um único toco. Muitas vezes, aquele grande tucunaré ficará parado sentindo seu plug nadar os primeiros lançamentos e finalmente, depois de vários lançamentos repetidos, ele vai ficar bravo e vai atacar.

É semelhante a se eu der um peteleco na sua orelha uma vez, talvez até duas, você vai me encarar mas provavelmente vai deixar passar. Se eu continuar muito mais do que isso, você vai me dar um soco. Isso é o que lançamentos repetidos com um crankbait fazem com um predador.

Como é o trabalho

Depois de um lançamento longo, mantenha a ponta da vara baixa em um ângulo de 45 graus com o crankbait. Se você for um pescador destro, coloque a ponta da vara contra o seu lado esquerdo. Se você é um pescador canhoto, coloque a ponta da vara contra o seu lado direito. Eu chamo isso de “pesca do lado forte”. Ao sentir a pegada, você pode usar sua caixa torácica como ponto de apoio para definir a fisgada, o que lhe dará mais força para uma penetração das pontas da garatéia.

Quanto maior é a barbela – teoricamente irá mais profundo e mas longe se deve ser o arremesso para atingir o limite. O normal para plugs de nado raso são pinchos médios de  25~30 metros de distancia, mas os plugs de profundidade precisam de arremessos mais distantes algo entre 40 e 45 metros – isso nós dá uma indicação para usar varas longas, algo entre 6’6″ a 7’.  Onde podemos estar de molinete e ou carretilha, se possível de recolhimento lento como 5.1 até 6.3:1 são funcionais – isso é fato, garante o trabalho mais adequado e fica mais confortável principalmente quando usamos os modelos de grande profundidade. A escolha da linha para abastecer seu carretel é de sua preferência – mas, pelas caracteristicas de trabalho das iscas o mais recomendável são as de fluorcarbono – afundam e tem um pouco de elasticidade, e a sensibilidade é alta para perceber se bateu em algo e se torna preciso parar de recolher para passar o obstáculo. Há os que preferem usar mono filamento de náilon, por ser mais elástico controla melhor o problema de enrosco nos plugs de grande profundidade. O diâmetro dessas é importante, quanta menor for, menos resistência fará em relação a água e isso é um ganho para atingir maior profundidade. É possível usar multi filamento? Sim, nada te impede, mas apresentam quase nada de elasticidade e isso se traduz em mais possíveis enrosco. Gosto de varas mais moderadas – aquelas que fazem uma curva mais ampla quando estão trabalhando – o normal entre os fabricantes é usar haste de fibra de vidro ou compostos entre essa é a de carbono. Há fabricantes desenvolvendo hastes de carbono somente, mas com uma ação destinada ao trabalho dessas iscas.

Uma dica – as varas para a pesca com crankbait são excelentes para trabalhar grandes spinner baits e ou chartter baits.

Eu uso dois caniços, ambos com 6’ 8” – para plugs da nado raso, conhecidos como squarebills e shallow divers que é a recomendado para linhas ente 8~16 lb, já os de mais profundidade medium ou deep divers é a indicada para linhas de 12~20 lb.  A até 16 lb é de fibra de vidro e a outra é composta entre fibra de vidro e carbono. 

Cabe uma observação – plugs de nado raso podem ser trabalhados sem problemas com suas varas de iscas de superfície e ou para jerkbaits, assim como usar um multi filamento, pois muitas vezes você estará vendo o trabalho deles e isso ajuda a evitar os locais de possível enrosco enquanto está a trabalhar.

Além do trabalho de arremessar e recolher, usando a manivela, a vara fica estática – com alteração de velocidade, há o trabalho de recolher longo e parar – é o conhecido stop and go, funcional quando o peixe está mais manhoso – possivelmente por um resfriamento da água, se torna bem efetivo para provocar ataques.

Outra variação é o recolhimento em desce e sobe, após o lançamento recolhemos com a ponta da vara para baixo, após um tempo alteramos a posição da vara com a ponta para cima – isso provoca um desce e sobe na isca – movimento errático que provoca ataques.

Recolher normalmente, com a ponta para baixo dando toques de ponta de vara é outra alternativa, apesar de ser mais visual e comum de ser usado com iscas do tipo jerkbait é mais uma variação para se ter em mente quando os predadores estão difíceis.

5 prediletas

Atualmente (ano de 2020) as minhas prediletas são

Rapala Fat Rap – floating com 5 cm e 8 g de balsa, nado raso, é uma squarebills (barbela quadrada), super tradicional mas continua muito produtiva.

Megabass Cyclone SR-X – floating com 5,5 cm e 10,6 g, nado raso, é uma squarebills (barbela quadrada) estou muito fã dela.

Bomber Model A 8 e 10 – Floating com 8 cm e 10 g e 10 cm e 14 g, são Medium Divers (barbela arredondada)  minha primeira escolha para usar em pontos de pesca com pedras.

Rapala Crankin Rap – Floating com 6 cm (corpo, sem contar a barbela) e 14 g, são Deep Divers (barbela arredondada e longa) passam de 4 metros de profundidade uso em arremessos paralelos em drop off (degraus) e próximos a barrancos profundos.

Matadeira Crank Deep – Floating com 6,5 cm (corpo, sem contar a barbela) e 12 g chegam a 4 metros de profundidade mesmo uso das Rapalas Crank Rap

Há outras excelentes Crankbait (s) no mercado, acima citei as que uso com frequência.

Funcional para diversos predadores entre os quais já testei e uso quando o foco é  black bass, dourado, robalo, tucunaré, traíra e trairão.

Não é  “a regra” e sim um relato de minhas experiências e analises de resultados feitas ao longo de muitos anos de pescaria. 

Boas pescarias, 

Proibido uso comercial, reprodução, edição ou alteração do texto e ou imagens sem autorização do autor. Copyright © Pepe Mélega. Todos os direitos reservados – All rights reserved.

Email: pepemelega@gmail.com

Publicado por Papo Reto com Pepe Mélega

Um brasileiro como tantos outros. Fotógrafo de profissão e por paixão. A Brazilian like so many others. Photographer by profession and passion

Se junte à conversa

3 comentários

  1. Olá camarada Pepe. Excelente este espaço para a difusão de informações tão valiosas.
    Parabéns por sua dedicação e empenho para que a pesca continue a ser uma paixão acompanhada de consciência e sobretudo prazer.

    Curtir

  2. Excelente conteúdo, e confesso que descobri que não sabia qse nada sobre o tema. Muito obrigado mestre Pepe, grande abraço!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: